autocar

Diário de um Caçador de Carros no Salão do Automóvel 2016 – Parte I

Desde 1990, um evento ao qual jamais deixei de ir é o Salão do Automóvel. Naquela ocasião, eu tinha apenas 8 anos, mas me lembro como se fosse hoje da mítica Ferrari F40.

Neste ano, fui convidado a visitar o evento nos dias que antecedem a abertura ao público. E pude conferir, de forma mais detalhada, os lançamentos e as tendências para os próximos anos.

Como foram dois dias de visita, registrei em duas colunas, minhas impressões sobre o que vi no Salão do Automóvel 2016.

Nesta primeira, conto o que achei de mais interessante no estande de cada fabricante no Salão do Automóvel. Vamos lá?

Captur da Renault

Renault

A Renault vai apostar no segmento dos SUVs, com três modelos de tamanhos distintos: Kwid, Captur e Koleos.

O primeiro é um pequeno, que deve cobrir o segmento que era do Clio. Chamá-lo de SUV é algo bem otimista, mas eu acredito que o carro se dê bem no mercado. Ele terá o primeiro motor 1.0 3 cilindros com controle de válvulas variável na admissão e no escape.

O segundo SUV apresentado pela Renault é o Captur, de porte similar ao da Duster. Será oferecido com a nova geração de motores 1.6, com opção de câmbio manual ou automático CVT e também com o conhecido 2.0 com câmbio automático.

Já o terceiro SUV é o Koleos, grande e de design bem interessante.

Todos eles são promessas para 2017.

A Renault vai apostar no segmento dos SUVs, com o Captur

Volkswagen

Para os apaixonados pelo clássico esportivo nacional Gol GT, a VW apresentou no Salão do Automóvel uma versão conceito, de muito bom gosto, mas que claramente jamais deverá ganhar as ruas, uma vez que, hoje, o leque de produtos é grande e não comportaria uma versão esportiva em um de seus modelos mais simples.

Também foram apresentados os novos modelos com motores TSi, sendo o do Golf 1.0 e 1.4 o do Tiguan.

Chevrolet

O maior destaque é o Camaro, nas versões coupé e conversível. Mas foram outros dois carros que chamaram minha atenção: a aguardada nova geração do Cruze hatch e a Tracker com frente totalmente reestilizada.

Na minha opinião, a Tracker ficou bem melhor que a anterior. Juntamente com o motor 1.4 turbo, ela tem tudo para vender mais. Trata-se de um carro que, para mim, deverá ser dar bem no mercado de usados, por unir um motor moderno, num conjunto bem acertado.

Muito também foi dito sobre o sistema da Chevrolet de conectividade com celular, o “OnStar”. Com ele, o motorista consegue monitorar muitos sistemas do carro.

São mais de 20 serviços de emergência em segurança, navegação, concierge (auxílio geral), diagnóstico e conectividade, disponíveis em todos os modelos da marca.

Nova geração do Cruze foi apresentada no Salão do Automóvel

Fiat

Fiquei encantado com a beleza do 124 Spider, um carro que entrega toda a pureza de um legítimo esportivo: dois lugares, tração traseira, motor turbo e câmbio manual de 6 marchas.

Mas os destaques da Fiat ficam para a nova geração de motores Fire Fly, disponíveis para Mobi e Uno. No primeiro, apenas a opção 1.0 de 3 cilindros; já no segundo, além do 1.0, haverá um 1.3 de 4 cilindros.

Apesar de ambos utilizarem apenas duas válvulas por cilindro, contam com tecnologia de ponta para fazer desses carros modelos extremamente econômicos. Aposto minhas fichas que farão muito sucesso no mercado de usados.

Também foi apresentada no Salão do Automóvel a picape Toro com o elogiado motor 2.4, que entrega 186cv quando abastecido com álcool. A picape, que não para de vender, deve se manter na liderança por mais um tempo.

Kia Motors

Muito se falou sobre a alta de IPI de anos atrás, que prejudicou bastante as operações da marca coreana aqui no Brasil. Mesmo assim, não faltam boas opções no leque de produtos da empresa.

Quem deve se dar bem é o novo Cerato, que passa a vir do México e promete preço competitivo.

Outro que me agradou bastante no Salão do Automóvel foi o Optima GT, com um moderno motor 2.0 turbo que entrega ótimos 245cv de potência.

Já o Kia Rio, apresentado em Salões passados, mais uma vez ficou só na promessa. Será que ele vem, mesmo?

Quem deve se dar bem é o novo Cerato

Chrysler/Jeep/Dodge/Ram

A marca Jeep foi das que mais cresceu no último ano. Muito graças ao sucesso do Renegade, apresentado em uma nova versão de topo, denominada Limited.

Aproveitando esse bom momento, o novíssimo Compass aparece para fechar a lacuna que existia entre o pequeno Renegade e o Cherokee.

Com motor mais forte e mais espaço interno que seu irmão menor, além de preço competitivo, tem tudo para ser o novo sucesso de vendas da marca.

As outras marcas do grupo tiveram destaques pontuais, como a Chrysler Pacifica, van de oito lugares e muito luxo; o Dodge Challenger HellCat, legítimo muscle car com estúpidos 707cv de potência; e as grandalhonas picapes 1500 e 2500 da Ram.

O Renegade impulsionou a marca Jeep

Ford

A marca do oval azul apresentou a nova geração do Mustang. Até aí, tudo bem. Afinal, ela sempre mostrou seu maior esportivo nos Salões. Mas, ao que tudo indica, dessa vez o Mustang será de fato importado de forma oficial, com previsão de vendas para o último trimestre de 2017.

Entre os carros mais acessíveis, o Ka foi apresentado em uma nova versão, com apelo aventureiro. A receita é a mesma utilizada por outros fabricantes: suspensão um pouco mais alta, pneus de uso misto e acabamentos diferenciados.

O Mustang será de fato importado de forma oficial

Toyota

Marca que vem se firmando no Brasil como sinônimo de qualidade, a japonesa apresentou sua linha de produtos sem muitas novidades.

Destaco o Etios automático, carro que, arrisco dizer, será um queridinho no mercado de usados. E digo isso pensando no longo prazo, coisa de dez, 15 ou 20 anos.

Isso porque o Etios é um carro simples e robusto, que só precisava do conforto do câmbio automático para ficar mais interessante.

Ele continua feioso, mais as qualidades superam essa falta de beleza.

Destaco o Etios automático

Audi

Nada menos que a global Isis Valverde e o skatista Bob Burnquist foram os responsáveis por mostrar os destaques da marca premium alemã no Salão do Automóvel 2016.

A identidade visual da Audi é tão forte que fica difícil dizer quais são os modelos quando vistos de frente. Contudo, eles são inegavelmente belos e nervosos.

Os destaques ficam para a versão Performance do RS6 e RS7, com 605cv de potência, e para o novo coupé S5.

A identidade visual da Audi é tão forte

Mercedes-Benz

A atual tricampeã de construtores da Fórmula 1 mostrou um conceito com foco total na aerodinâmica. Também apresentou vários modelos das versões apimentadas da AMG. Entretanto, ficou claro que o foco da marca está nos SUVs, disponíveis em vários modelos.

Destaco o belíssimo AMG GTS. Sem dúvida, um dos carros mais bonitos do Salão do Automóvel 2016.

Nissan

O segmento das picapes médias tem uma nova concorrente de peso. Pelo menos esta é a aposta da Nissan com a nova geração da Frontier.

Em termos de design, o resultado foi muito bom, mesmo sendo bem conservador.

Já no restante da linha, nenhuma novidade para March, Versa, Kicks e Sentra.

Lamento a ausência do Altima e, por que não, do Maxima. Eu iria à loucura se eles trouxessem o maior sedã da marca, mesmo que fosse apenas para demonstração.

Honda

O futurista e belo Civic de 10ª geração já não é novidade, mas foi um dos destaques da Honda. Entretanto, o mais aguardado era o novo SUV W-RV, baseado no Fit.

O resultado, na minha opinião, não foi dos melhores. Mas, como todo bom Honda, deve agradar em cheio o mercado.

Aposto que o W-RV será um dos queridinhos no futuro, quando chegar ao mercado de usados.

Quem também deu as caras no Salão do Automóvel 2016 foi Jenson Button, campeão mundial de Fórmula 1 em 2009. O simpático piloto falou e posou para fotos ao lado de sua McLaren Honda.